RELAÇÃO ENTRE A CARGA HORÁRIA E A QUALIDADE DE VIDA DOS ALUNOS DO CURSO DE MEDICINA DE UMA FACULDADE DE SALVADOR

Felipe Cendon Durán, William Azevedo Dunningham

Resumo


Introdução: Medicina é um dos cursos mais concorridos do Brasil, a carga horária mínima é de 7200 horas. Na IES estudada, essa carga horária é de 9780 horas. Há uma maior prevalência de fadiga, sintomas depressivos, estresse e síndrome de Burnout em estudantes de medicina do que na população em geral. Foi avaliada a qualidade de vida dos alunos relacionando com sua carga horária. Objetivo: Relacionar as horas de estudo em classe e extraclasse que os estudantes de medicina da IES têm que cumprir na semana com as suas respectivas qualidades de vida. Metodologia: Estudo quantitativo de corte transversal realizado numa Faculdade de Medicina de um Centro Universitário de Salvador/BA em 2018 . Foram avaliados 80 alunos do curso de medicina do 1º ao 8º semestre. Realizado questionário com variáveis sociodemográficas e carga horária criada pelo pesquisador, e um questionário padronizado de qualidade de vida, o SF-36. Resultados: O sexo mais prevalente foi o feminino com 67,5% do total de alunos. A média de idade dos estudantes foi de 23,5 anos. Foi observada relação entre a carga horária dos acadêmicos e a qualidade de vida destes dos mesmos; os domínios de qualidade de vida no geral com piores pontuações foram os de Limitação Física, Aspectos Sociais e Vitalidade. Conclusão: há uma baixa qualidade de vida nos estudantes de medicina do curso pesquisado, principalmente os domínios aspectos emocionais, limitação física e vitalidade, todos intrinsicamente ligados, e isto está muito ligado à carga horária exorbitante que os acadêmicos enfrentam


Palavras-chave


Qualidade de Vida; Estudantes de Medicina; Carga Horária.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


APOIO

Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria. ISSN: 1414-0365