SÍNDROME NEUROLÉPTICA MALIGNA COM USO DE METOCLOPRAMIDA NA GESTAÇÃO: UM RELATO DE CASO

Marcelo José da Silva de Magalhães, Fabiane Mendes de Souza, Leonardo Canela Almeida

Resumo


Objetivo: A síndrome neuroléptica maligna (SNM) é uma reação idiossincrática a antagonistas dopaminérgicos. Descrição do Caso: paciente com 17 semanas de gestação, em uso regular de metoclopramida para tratamento de hiperêmese gravídica, admitida com alteração do nível de consciência, rigidez, febre e instabilidade hemodinâmica. A SNM é uma manifestação incomum a determinadas drogas, como os anti-eméticos, mas de evolução rápida e potencialmente fatal. Conclusão: É importante, portanto, deter conhecimento para diagnóstico e tratamento adequados a fim de reverter o quadro.


Palavras-chave


Síndrome neuroléptica maligna; Metoclopramida; Hiperêmese gravídica; Gestação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


APOIO

Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria. ISSN: 1414-0365